Secretário-geral da OEA quer readmissão de Cuba


O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, anunciou hoje que buscará a readmissão de Cuba 47 anos depois de o país comunista ter sido desfiliado da entidade. Insulza anunciou em Trinidad e Tobago, onde começa hoje a Cúpula das Américas, que pedirá em maio, quando os integrantes da OEA se reunirão em assembleia geral, a anulação da resolução que suspendeu a filiação de Cuba em 1962.

A resolução declara o sistema comunista cubano incompatível com os princípios da OEA. A decisão coincidiu com a imposição do embargo comercial a Cuba pelo governo dos Estados Unidos. O anúncio vem à tona um dia depois de o presidente de Cuba, Raúl Castro, ter-se declarado preparado para discutir "todo e qualquer tópico" com os EUA, da liberdade de imprensa à libertação de prisioneiros políticos.