Campanha de vacinação


A 11ª edição da campanha de vacinação do idoso contra a gripe começa neste sábado () em todo o país. A mobilização se estende até dia 8 de maio, com a meta de imunizar 80% da população com mais de 60 anos –o que equivale a 15,5 milhões de pessoas, segundo o Ministério da Saúde.

De acordo com o governo federal, foram investidos R$ 162 milhões para compra de 22 milhões de doses da vacina e montagem da infraestrutura da campanha. "No próximo sábado todos os postos de saúde do Brasil vão estar abertos recebendo a população com 60 anos ou mais", afirmou o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, no lançamento da campanha, na última quarta-feira, no Rio.

O governo federal recomenda que todos os idosos que foram vacinados em anos anteriores participem novamente da campanha, devido à variação de tipo de vírus. A restrição é para quem tem alergia a ovo. Portadores de doenças neurológicas também não podem receber o imunizante. Quem estiver com gripe, apresentar estado febril ou sintomas de dengue deve esperar melhorar para depois se vacinar.

"A única restrição são pessoas que tenham alergia a ovo ou se a pessoa tiver uma doença debilitante ou está sob acompanhamento médico. Mas, no geral, todas as pessoas podem tomar a vacina sem problema nenhum", afirmou o ministro.

Para a OMS (Organização Mundial de Saúde), a vacinação é a forma mais eficaz de prevenir a gripe e suas complicações. "A cada ano, mais de 150 milhões de pessoas são vacinadas contra a gripe no mundo. Provocada pelo vírus Influenza, a doença atinge todos os anos entre 10% e 20% da população do planeta algo em torno de 600 milhões de pessoas", informa a OMS.

Os dados indicam que, se não for tratada, a gripe pode gerar complicações que provocam entre 250 mil e 500 mil mortes por ano.