Adiada votação do protocolo de adesão da Venezuela ao Mercosul


O Protocolo de Adesão da Venezuela ao Mercosul será votado no dia 18 de fevereiro pela Representação Brasileira no parlamento do bloco. O adiamento da decisão, antes prevista para esta quarta-feira (), ocorreu por causa da apresentação de um pedido coletivo de vista da proposta.

A aprovação do ingresso da Venezuela vem sendo apontado pelas delegações do Paraguai e do Uruguai como uma condição para o início da discussão do critério de representatividade no Parlamento do Mercosul. Isso porque, sem a presença dos venezuelanos, o Brasil teria um peso grande demais no Parlamento do Mercosul, na interpretação de uruguaios e paraguaios.
 
Depois de aprovado pela representação, o protocolo será ainda apreciado pela Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) e pelo Plenário do Senado. A Câmara aprovou o protocolo em dezembro do ano passado.

Atualmente, cada um dos membros permanentes do Mercosul – Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai – conta com 18 representantes no parlamento do bloco. Em fase de adesão, a Venezuela tem, no momento, nove parlamentares, com direito a voz, mas não a voto. Já existe uma proposta em tramitação que concede 75 cadeiras ao Brasil, 33 à Argentina, 27 à Venezuela (após a aprovação de seu ingresso), 18 ao Paraguai e 18 ao Uruguai.

O relator da matéria na Representação Brasileira do Mercosul, Deputado Dr. Rosinha, apresentou seu voto favorável ao protocolo de adesão da Venezuela, afirmando que além de "ampliar o protagonismo internacional do Mercosul o ingresso da Venezuela permitiria o aumento das exportações brasileiras para aquele país, gerando emprego e renda”.