23 de novembro de 2017

Cerimônia em Fortaleza premia estudantes vencedores das Olimpíadas de Química 2017

O Theatro José de Alencar foi novamente palco da cerimônia de premiação do Programa Nacional Olimpíadas de Química, que reuniu, na noite desta quarta-feira (22/11), centenas de estudantes de vários estados brasileiros. Eles se destacaram nas diversas competições de Química realizadas em 2017 e receberam troféus e medalhas durante a solenidade.

O secretário da Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Inácio Arruda, representou o governador Camilo Santana no evento. Em sua fala, Inácio ressaltou a notoriedade dos cearenses nas diversas competições estudantis e reafirmou o compromisso do Governo do Estado na democratização do conhecimento.

“Investir em educação é uma experiência que dá certo e hoje vemos os resultados. Tanto que entre as 100 melhores escolas públicas do País, 77 são do Ceará. Aqui tem inteligência, capacidade e esforço político. Nossos estudantes são destaque nos números que vão desde a educação básica até a educação superior. Nosso êxito é coletivo!”, disse o secretário.

Inácio também ressaltou o importante trabalho de difusão da Química entre os jovens realizado pelo professor Sérgio Melo, coordenador do Programa Nacional Olimpíadas de Química.

Premiações

Foram homenageados os alunos com melhor desempenho na Olimpíada Brasileira de Química, X Olimpíada Brasileira de Química Júnior, XXIII Olimpíada Norte/Nordeste de Química, XXII Olimpíada Ibero-americana de Química e 49º Internacional Chemistry Olympiad. Participaram também estudantes que obtiveram medalhas de ouro, prata ou bronze e certificados de Menção Honrosa.

Para a estudante premiada Ivna de Lima, os concursos são uma porta de entrada para o estudo mais aprofundado da Química. “Essa Ciência é muito importante porque com ela dá para desenvolver medicamentos que curam doenças e também pode-se melhorar a forma como as indústrias fabricam seus produtos. Ela está presente em nosso dia a dia de diversas formas!”.

O estudante premiado João Vitor Pimentel ressaltou que os concursos possibilitam o contato dos jovens com a vida acadêmica e a aproximação até com outras Ciências. “A Química dialoga com várias áreas como a Física e a Biologia. Toda essa interdisciplinaridade faz com que possamos pesquisar sobre praticamente qualquer coisa e desenvolver grandes projetos com impacto social”.

O Programa Nacional Olimpíadas de Química é uma promoção do Governo do Ceará/Secitece, Universidade Federal do Ceará (UFC), Universidade Federal do Piauí (UFPI) e Associação Brasileira de Química. Conta com o apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e Ministério da Educação (MEC).

Participaram da cerimônia de premiação do Programa Nacional Olimpíadas de Química Sérgio Melo, coordenador geral do programa; Márcia Machado, pró-reitora de Extensão da UFC; Jean Carlos Catapreta, coordenador da Olimpíada Nacional de Ciências; Maria de Fátima de Moura, presidente da Associação Brasileira de Química; Airton Oliveira, presidente do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Ceará; Martim Penna, diretor executivo da Associação Brasileira da Indústria de Cloro-Álcalis e Derivados (Abiclor); e Fábio Mendes, analista de Comunicações e Cidadania da DOW Brasil.

alt

alt

alt

alt

alt

alt